Uma empresa japonesa planeja construir ilhas artificiais que serviriam de moradia à população e reduziriam em 40% as emissões de carbono. A Shimizu imagina que as mini cidades flutuantes seriam dotadas de tecnologias capazes de torná-las 100% neutras em resíduos.

O The Green Float é um conceito que envolve várias células. Cada um desses círculos teria 1 km de diâmetro, abrigando entre 10 mil e 50 mil moradores. Cada célula teria liberdade para flutuar sozinha, mas poderia se ligar a outras para formar cidades maiores e até países.

No centro dessas grandes “vitórias régias” estaria o City in The Sky, um arranha céu com 1 km de altura no qual viveriam a maioria das pessoas. A torre seria cercada por pastos e florestas, permitindo a auto-suficiência em comida.

Para a construção do prédio seria usado um material super leves derivado do magnésio removido da água do mar. Cada células seria ainda dotada de um centro de reciclagem e converteria o lixo em energia (segundo a empresa, usando novas tecnologias).

Um sistema de lagoas de água doce cercado cada cpelula criaria uma diferença de pressão suficiente para evitar que as ilhas balançassem com a maré. Quanto ao perigo de tsunamis, a empresa alega que eles são um risco muito maior para quem está na costa, e não no meio do mar.

Outros sistemas de segurança incluem para-raios nas torres e muros para conter a entrada da água.

A ideia é desenvolver a primeira célula até 2025 – e, sem dar muitos detalhes sobre as (muitas) novas tecnologias necessárias para que o The Green Float se torne realidade, a Shimizu diz estar concentrada em desenvolver os meios para tornar isso possível.

Este não é o primeiro projeto curioso proposto pela empresa. Este ano mesmo ela já propôs outras criar um anel de painéis solares em torno da Lua, a fim de captar energia e enviar de volta à Terra. [Info]

facebook-profile-picture
 é o criador do eco4planet, formado em Administração de Empresas pela USP, desenvolvedor e gamer. Otimista nato, calmo por natureza, acredita que informação pode mudar o mundo e que todo pequeno gesto vale a pena. Posta também no Twitter e Facebook.
Veja outros artigos por e escreva também para o eco4planet!
  • não comprometeria a vida marinha? sei lá, diminui a entrada de sol e talz…

  • Dann

    é um projeto tem que ser muito bem trabalhado… eles podem até fazer mais chuto no minimo 2032 ou algo assim pra eles termirem a primeira e como foi bem observado no post de cima acho que influenciaria sim… ñ sei como mais ia ter alguma modificação na vida marinha

  • Ddd

    o pulmão do planeta é o fitoplâncton,
    as plantas que ficam nas superfícies dos oceanos..
    acredito que ia de alguma forma influenciar na vida marinha também ..

  • Laurindo

    Se for analizar assim tudo que o ser humano faz interfere na natureza… Pro seu arroz com feijao chegar a sua mesa alguem pode ter desmatado uma area de floresta nativa ou cerrado para dar lugar a uma plantaçao…

    eco4planet para você para empresas
 
Quem somos
Na mídia
FAQ
Contato
Home page
Busca padrão
Como divulgar
Anuncie (mediakit)
Embedded
 
 
©2008-2017 eco4planet | Privacidade
©2008-2017 eco4planet | Privacidade